Posts Tagged ‘On myself’

As datas, as datas.

dezembro 18, 2008

Acabei de checar as datas e, incrivelmente, fazia somente uma semana que não escrevia nada aqui – ou em qualquer outro lugar. Pareceu um tempo tão mais longo. 7 dias é coisa pouca. Sim, comentários, okay, mas não contemo-los, porque este não é, afinal, o blog de um post onde tudo acontecesse nos replies.

Vou indo dormir que tenho aula. Aula!

Anúncios

O tempo fechou.

dezembro 12, 2008

A coriza e a dor de cabeça uniram forças para me deixar doente no começo do final de semana. Mas gente feliz não produz nada mesmo.

Roubaram-me a escova de dentes.

novembro 25, 2008

Esconderam-na, trocaram-na, coisa que o valha. Não a encontro no banheiro. Estou tendo de escovar os dentes com o jurássica escova elétrica, cujas pilhas não encontro coragem para reabastecer. Na pressa, vi-me encurralado: tive de apelar para o Listerine. Cool Citrus. E nada mais. Envergonhado de meu pecado higiênico, retirei-me do banheiro cabisbaixo e calado. Repetia, com meus botões: não tive escolha, não encontrei a escova, não havia mais tempo, não tive escolha. Tentava me enganar, mas eu sempre soube que eu nunca fui bom em mentir.

De Backups, Formatações e Atualizações.

novembro 20, 2008

Estou de férias: não há justificativa para passar mais de uma semana sem postar.

Contudo, minha placa de rede – o troço que me conecta à interweb – desistiu de funcionar semana passada. Não fossem os filmes e os livros que acabara de adquirir, acredito que não possuiria sanidade o suficiente para escrever estas linhas. Desprovido de acesso a rede munidal de servidores, comprei-me um novo adaptador de rede, formatei meu disco rídigo, reinstalei o Windows, coloquei os drivers nos lugares certos e aqui estou, triunfante.

Providencial, arriscaria dizer, minha ausência inesperada: deu-me tempo para terminar de ler o How Fiction Works, e já pensar em como falarei sobre ele nos posts vindouros. Por ora, basta que é um livro muito bom; acadêmico, sim, mas sem ser pretensioso – é difícil, hein?.

Minha conta no iGoogle conta 184 atualizações, entre blogs e webcomics. Let the reading begin!

Chegou! Chegou!

novembro 14, 2008

Acabou de chegar o meu How Fiction Works! Hail Amazon!

\o/

04:57

novembro 8, 2008

Agora com licença que vou ali dormir e, mais tarde, volto.

Estágio Supervisionado.

novembro 8, 2008

Recentemente, fiquei de férias. Ficarei longe da faculdade por três semanas, quando, então, retornarei a controlar meu número de faltas e procrastinar trabalhos de 15 páginas à véspera de entrega. Neste último semestre, finalmente me submeti à cadeira de Estágio Supervisionado 1, na qual você ainda não aulas: apenas observa os professores realizando o ofício. Contudo, a fim de completar minhas horas e tentando tapar sóis com peneiras, quando algum ensinante resolvia faltar, incumbia-me com a importante missão  de ministrar alguns reforços para o 5º, 6º ou 7º ano. Preparei um T.D. sobre dígrafos, bem simples, para que pudéssemos – eu e os alunos, colaborativamente – nos concentrar em aprender as regras morfológicas, e não apenas em resolver as questões.

Imagino o que esteja atravessando seus pensamentos, e sei que este colaborativamente ali em cima deve ter incitado diversos Tsc, Tsc: quanto a isso, como justificativa para minha ingenuidade, ofereço os momentos que passei com minha pedagoga mãe, elaborando o T.D. para os monstrinhos. Ainda que eles não tenham resolvido todas as questões e eu não tenha conseguido empurrar uma grama de conhecimento para dentro de seus cérebros, permitir organicamente a presença de minha mãe em minha vida já valeu a cadeira.

Sem contar que a professora achou minha postura bem séria, e recomendou-me procurar vagas no cursinho oferecido pela universidade. Retruquei-lhe um entusiástico ah, com certeza.

Próxima cadeira de estágio, fa-la-ei à noite.

Dois patinhos na lagoa.

outubro 28, 2008

Talvez por empa- ou telepatia, ou simplesmente por ver-me agarrado com o São Bernardo, meu pai acabou dando-me o Angústia, que ontem mesmo eu procurava na livraria. Felizmente, não encontrei. (Presentaço desse estragado, já pensou?) O livro é daquela coleção do Graciliano Ramos que a Record lançou, que vem falando das lavadeiras na quarta capa. Editado com poucas frescuras, não há artigos nem ensaios estragando as páginas do meu livro: uma pequena cronologia, uma bibliografia do autor e de gente falando sobre ele.

O presente não é sem propósito: hoje é meu aniversário, mas isto é o de menos. O que importa é que ontem foi o aniversário do Sr. RAMOS, Graciliano – como é conhecido nas rodas acadêmicas. Quero lhe desejar, mesmo atrasado, um feliz aniversário; que possa encontrar muita felicidade em seus 116 anos, ainda que 56 deles sejam póstumos. Quanto a mim, a fortuidade besta de ter nascido 94 anos e um dia depois dele já me alegra.

Prostituição.

outubro 22, 2008

Estou a gastar minhas falanges num artigo intitulado Uma análise da construção dos ethe discursivos na peça Barrela, de Plínio Marcos, para a cadeira de Análise de Discurso da faculdade, e não consigo me livrar deste sentimento de ter meu cérebro, minhas palavras e meu tempo, todos alugados por uma causa, no mínimo, monótona e irritante. Escolhi a peça por ser pequena e simples de trabalhar; tivesse escolhido algo mais complicado e longo, deus sabe onde estaria minha sanidade agora.

Eita que este canudo está me saindo cada vez mais caro. Juro que me sinto emburrecer a cada nota de rodapé que sou obrigado a colocar para preencher a lauda. It’s Just bullshit on the horizon.

***

Um diálogo inspirado por Woody Allen, que ilustra bem meus sentimentos:

– It just keeps getting worse, doesnt’ it? Life and all that.

– Pretty much, yeah.

– So why not just kill yourself and get it over with?

– Well, they have good food.

Insônia.

outubro 13, 2008

E não é que peguei a mania de meu pai de sair estalando os dedos no ritmo da música?