Archive for fevereiro, 2009

Palhaços.

fevereiro 28, 2009

A série de fotografias Take 10 produzida pelo Guardian mostra dez palhaços essa semana. Ex-lutadores, velhos que não gostam de crianças, universitários transsexuais e professoras de matemática.

Quando palhaços se reúnem, há risadas, quedas, abraços, grandes sapatos sendo avaliados e discussões sobre a substância mais poderosa para colar perucas e narizes. Quando um palhaço morre, os amigos, à caráter, se reúnem para jogar confete na sepultura.

Toda vez que um palhaço entra na assossiação internacional de palhaços (A Clowns International), ele registra sua maquiagem individual. Nenhum rosto é igual a outro.

Anúncios

Uma boa opção.

fevereiro 24, 2009

Nada para se fazer à tarde? Uma boa opção é parar de dormir à noite. Truman Capote fê-lo. Dormir à tarde, e passar a manhã e a noite fazendo, criando. A tarde não lhe servirá de nada mesmo: a noite é quando a mente consegue chegar mais longe. Certamente ajuda ter vários filmes para ver. Pode-se, também, passar a melhor parte das horas assistindo entrevistas de escritores, falando sobre escritura, até dar uma dor. Uma hora cansa. Uma hora, com certeza, não se aguenta mais tanta umbilicagem e, aí, tem de se levantar a cabeça. “Poxa, não sabia que existiam tantas cores assim no mundo!”

Aí sim pode-se dormir à noite.

Margaret Atwood on the difficulty of writing.

fevereiro 19, 2009

ROSE: Have you abandoned a book halfway through?
ATWOOD: Oh, several. More than halfway.
ROSE: That would kill me! You know, you get halfway through? You spend a year or two…
ATWOOD: Oh, yes. Yes, that has certainly happened. They go off to book limbo and they live in a drawer.

Tubing.

fevereiro 17, 2009

01. Telecurso 2000, Monty Python style: Look Around You. 02. Não fosse a classe e a sabedoria de Aldous Huxley, esta entrevista seria ainda pior. Veja aqui uma muito melhor. 03. Origin Of The Universe, por Stephen Hawking. Buracos negros, powerpoint e Woody Allen. Imperdível. 04. Charlie Rose, o entrevistador, entrevista seu duplo. Discutem o futuro da tecnologia, o Google e o porquê de Steve não estar feliz. By Samuel Beckett. 05. A gente veio foi de uma garrafa de coca-cola.

Mais sobre isso depois.

fevereiro 9, 2009

Talvez esteja errado, mas sou só eu ou os livros brasileiros (aqueles da literatura) são sérios demais?

“No, you’re DEAD!”

fevereiro 8, 2009

Memeando.

fevereiro 8, 2009

Lá do Silly Talks, chega por aqui um meme que poderia dar um sketch Montypythoniano. Deve-se pegar o livro mais à mão no momento, abri-lo à página 161 e colocar a quinta frase completa aqui. Ei-la:

Sémiologie Psychiatrique.

Meu livro chama-se Psicologia e História em quadrinhos. Ficou entre ele e a História concisa da Literatura Brasileira (ah, estudantes de letras). Fiz um pequeno teste para saber qual o que estava mais próximo. Terminou o de quadrinhos ganhar por muitos centímetros. Deveria estar não mais do que 4,5 cm de alcance da minha esquerda. Quanto à frase, não realmente se conta, mas era isso ou colocar o nome do autor DESSE, jeito. E isto eu simplesmente não pude fazer.

Repasso o meme à quatro velhos meus: Edson, Jean, João Paulo e Thomaz. O quinto, repasso à além-mar, ao mestre João Bandeira.